top of page
O SPED Automation® nasceu com a missão de acelerar a transformação digital em Tax por meio

Como é calculado o auxílio por incapacidade temporária?

São considerados todos os recolhimentos acima do mínimo feitos desde julho de 1994


Publicado em 05/09/2023 15h38 Atualizado em 05/09/2023 16h11


Nem sempre o valor do auxílio por incapacidade temporária (antigo auxílio-doença) é igual ao salário que o trabalhador recebe do empregador ou à renda que costuma obter como contribuinte individual. Isso porque o cálculo considera uma série de fatores e não é igual à remuneração recebida.


Em primeiro lugar, é importante destacar que o período básico de cálculo é composto pelas contribuições feitas a partir de julho de 1994, desde que sejam iguais ou superiores ao salário mínimo. Com base nessas contribuições, calcula-se o salário de benefício, que é obtido pela média aritmética simples de todos os salários de contribuição e remunerações do período.


Por fim, a renda mensal do benefício será igual a 91% do salário de benefício. Vale destacar que ela não poderá ultrapassar a média aritmética simples dos 12 mais recentes salários de contribuição desde julho de 1994. A renda calculada também não pode ser abaixo do valor mínimo nem acima do valor máximo do salário de contribuição (atualmente, R$ 1.320,00 e R$ 7.507,49).


Não entra na conta

Um detalhe importante é que, para o empregado, o trabalhador avulso e o contribuinte individual que presta serviço a empresa, o período básico de cálculo inclui todas as competências em que houve ou deveria ter havido contribuição por exercício de atividade remunerada – nos meses em que há vínculo e não consta remuneração nos sistemas do INSS, calcula-se como se ele tivesse recebido o salário mínimo.


Isso é diferente para o contribuinte que paga à Previdência Social por conta própria (seja individual ou facultativo): são descartados os meses em que não houve efetivo recolhimento da contribuição. Também não são levadas em conta as contribuições em atraso recolhidas após o fato gerador (por exemplo, após o acidente ou o início da doença que gerou a incapacidade para o trabalho).


Carta de concessão

Quando um benefício previdenciário é concedido, o INSS emite um documento chamado carta de concessão. Entre as informações constantes na carta, está a forma de cálculo e o valor do benefício.


Veja como consultar a carta de concessão:


· Acesse o Meu INSS pelo site ou aplicativo para Android e iOS

· Clique em “Entrar com gov.br”

· Informe CPF e senha e clique em “Entrar”

· Clique em “Do que você precisa?” e escreva “carta de concessão”

· Localize e clique no benefício – a carta será gerada automaticamente


Fonte: Instituto Nacional do Seguro Social

2 visualizações

Posts Relacionados

Ver tudo

Comentários


bottom of page