*body* *head*
top of page
O SPED Automation® nasceu com a missão de acelerar a transformação digital em Tax por meio

Audiência discute aposentadoria de trabalhadores domésticos

O debate poderá ser acompanhado ao vivo pelo canal da Câmara dos Deputados no YouTube


Publicado em 18/05/2023 - 13:18


A Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados debate na próxima terça-feira (23) os desafios que as trabalhadoras domésticas enfrentam para se aposentar.


A audiência foi pedida pelos deputados do Psol Célia Xakriabá (MG), Luiza Erundina (SP), Chico Alencar (RJ), Tarcísio Motta (RJ) e Glauber Braga (RJ). Eles lembram que o trabalho doméstico sempre foi um dos setores mais precarizados e desprotegidos do mercado de trabalho.


Só em 2013, a Emenda Constitucional 72 garantiu alguns direitos para categoria, como seguro-desemprego, Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e pagamento de horas extras.


Em 2015, a Lei Complementar 150/15, regulamentou essa emenda, mas, segundo os deputados, criou regras diferenciadas para acessar os mesmos direitos dos trabalhadores em geral.





Os parlamentares afirmam, por exemplo, que a lei complementar diferencia "empregada doméstica", que trabalha pelo menos três dias por semana para o mesmo empregador, e a "diarista", que trabalha até dois dias por semana para a mesma casa.


A diarista é considerada autônoma e não tem vínculo empregatício formal como a empregada doméstica mensalista. Ela se torna responsável por suas contribuições previdenciárias e não se beneficia de nenhuma proteção social se não pagar essa contribuição.


Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em dez anos, o número de empregadas domésticas diminuiu e o de diaristas cresceu. Os deputados ressaltam que a crise econômica e a pandemia de Covid-19 agravaram ainda mais o cenário da categoria. Atualmente, três em cada quatro trabalhadoras domésticas no Brasil trabalham sem carteira assinada.


Célia Xakriabá, Luiza Erundina, Chico Alencar, Tarcísio Motta e Glauber Braga lembram que, neste ano, a PEC das Domésticas (que deu origem à Emenda 72) completa dez anos. Segundo eles, esse é o momento propício para avaliar as consequências e os desafios atuais das trabalhadoras domésticas, sobretudo as que estão a margem dos direitos estabelecidos pela legislação.


Debatedores Foram convidados para discutir o assunto, entre outros: - a representante da Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas (Fenatrad) Luíza Batista; - o secretário do Regime Geral da Previdência Social do Ministério da Previdência do Ministério da Previdência Social, Adroaldo da Cunha Portal; - a coordenadora de Garantia de Direitos das Mulheres no Mundo do Trabalho do Ministério da Mulher, Leidiane Fernandes Gomes; e - um representante do Ministério do Trabalho



A audiência será realizada no plenário 3, a partir das 10 horas e poderá ser acompanhada ao vivo pelo canal da Câmara dos Deputados no YouTube.


Fonte: Agência Câmara de Notícias

6 visualizações

Posts Relacionados

Ver tudo
bottom of page